FECOMERCIO

Notícias do Setor

BT: contrato de R$ 345 mi com os Correios

Fonte:  Portal Baguete   –   06/07/2011 Maurício Renner A British Telecom (BT) ganhou um contrato de R$ 345 milhões para fornecer conectividade a 7 mil instalações dos correios em todo o país pelos próximos cinco anos. O serviço inclui escritórios corporativos, regionais e locais em todo o Brasil. O valor é 42,5% inferior aos R$ 600 […]

07/07/2011

Fonte:  Portal Baguete   –   06/07/2011

Maurício Renner

A British Telecom (BT) ganhou um contrato de R$ 345 milhões para fornecer conectividade a 7 mil instalações dos correios em todo o país pelos próximos cinco anos.
O serviço inclui escritórios corporativos, regionais e locais em todo o Brasil. O valor é 42,5% inferior aos R$ 600 milhões definidos pelos Correios em edital.

A BT irá fornecer aos Correios uma solução de rede WAN totalmente gerenciada, conectando 6.800 filiais com links satélite de baixa velocidade e 285 unidades prediais com links de alta velocidade que se integram ao backbone nacional da rede MPLS global da BT.

“Em uma empresa continental, a integração é fator decisivo para o sucesso”, acredita José Luiz Alves do Nascimento, coordenador do Grupo de Trabalho para Implantação da Rede Correios 2011.
Em 2010 o faturamento dos Correios foi de R$ 13,32 bilhões, com lucro liquido de R$ 826, 64 milhões.
Recentemente, a BT também levou através da subsidiária Vicom um contrato de de R$ 272,8 milhões com a Caixa Econômica Federal para conectar correspondentes bancários e a rede nacional de loterias a seus data centers.
Investimentos de peso
Informações divulgadas pela imprensa apontam que os Correios tem um plano de investimentos de R$ 500 milhões para 2011, embora o presidente da empresa, Wagner Pinheiro, acredite que só será possível aplicar entre R$ 350 milhões e R$ 400 milhões.
Segundo o site do Valor Econômico, a maior parte dos recursos será destinada à recuperação da infraestrutura, como terminais de carga, a modernização da rede de TI e a possibilidade de a empresa se associar ao consórcio vencedor do leilão do trem-bala.
O executivo explicou que ainda há problemas de agilidade dentro da empresa para investir, mas afirmou que o planejamento para os próximos quatro anos prevê um total de R$ 4 bilhões em investimentos