FECOMERCIO

Notícias do Setor

Correios estudam participação em trem-bala e aéreas

Fonte: » Portal G1   –   27/06/2011 Estatal tem disponíveis R$ 4,3 bilhões para investimentos até 2015. Presidente diz que empresa fará proposta ao consórcio que vencer licitação. Darlan Alvarenga O presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Wagner Pinheiro, reafirmou nesta segunda-feira (27) que a estatal tem interesse em participar do projeto do Trem […]

29/06/2011

Fonte: » Portal G1   –   27/06/2011

Estatal tem disponíveis R$ 4,3 bilhões para investimentos até 2015.
Presidente diz que empresa fará proposta ao consórcio que vencer licitação.
Darlan Alvarenga

O presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Wagner Pinheiro, reafirmou nesta segunda-feira (27) que a estatal tem interesse em participar do projeto do Trem de Alta Velocidade (TAV) e que também avalia a possibilidade de participação como acionista em empresas aéreas de transporte de cargas.

Segundo ele, ainda não há valores definidos para a participação nessas áreas de logísticas, mas os Correios já possuem um orçamento definido para investimentos até 2015. “A gente tem disponível para investimentos R$ 4,3 bilhões para os próximos quatro anos.”

As declarações foram feitas em São Paulo, após participação no seminário Infraestrutura, urgências e estratégias, promovido pela revista Brasileiros.
Pinheiro afirmou que a diretoria da estatal ainda está formatando a proposta de participação no projeto do trem-bala e que uma carta de intenções e exigências será apresentada aos consórcios que participarem da licitação. “Temos interesse sim. É uma decisão que vai depender dos limites de recursos para investimentos”, disse.
Ele destacou ainda que a intenção é participar como acionista minoritário e sócio-estratégico e, eventualmente, como sócio-operacional. “Se o consórcio entender que nos horários de menor movimento a gente possa usar algumas viagens só para cargas, os Correios podem ser um operador logístico.”
Aéreas
Em relação à participação em aéreas, o presidente dos Correios disse que a decisão deve sair até o mês de julho. “Está em discussão se vamos continuar comprando o serviço de fornecedores, se vamos ter uma subsidiária, se vamos ter uma parceria com aéreas, ou se vai ser um misto”, afirmou. “Uma possibilidade é ter participação minoritária de uma empresa de transporte de cargas, ou de várias”, acrescentou.
Segundo ele, o objetivo é negociar uma maior atuação na operação e logística dos voos, de forma a atender aos interesses dos Correios.
Pinheiro disse ainda que a empresa pretende lançar até 2012 o serviço de correio digital, com impressão e distribuição de faturas de empresas.
MP amplia atuação dos Correios
Em abril, a presidente Dilma enviou ao Congresso uma medida provisória que amplia a atuação dos Correios, autorizando parcerias comerciais e permitindo que a empresa passe a explorar serviços de logística, financeiros e correio digital.
O presidente dos Correios disse que espera que a MP seja aprovada até setembro. Segundo ele, a nova legislação permitirá a modernização da estatal, que pretende passar a ser uma empresa com a oferta de multiserviços. “O objetivo é reconstruir a imagem de credibilidade da empresa e ampliar o faturamento em 50% até 2014”.