FECOMERCIO

Notícias do Setor

Esclarecimento sobre a nova marca dos Correios

Com relação à matéria divulgada pelo UOL nesta terça-feira (13) a respeito do investimento dos Correios para atualização de sua marca, a empresa esclarece que:

15/05/2014

Com relação à matéria divulgada pelo UOL nesta terça-feira (13) a respeito do investimento dos Correios para atualização de sua marca, a empresa esclarece que:

– a nova marca é resultado do novo posicionamento dos Correios no mercado, já que a empresa está entrando em novas atividades, como serviços postais financeiros, eletrônicos e de logística integrada e passa por um processo de revitalização desde 2011, com recuperação da capacidade de investimentos e da qualidade operacional;

– a maior parte da receita dos Correios advém do segmento de livre concorrência, que engloba não apenas o Sedex, mas todos os tipos de encomendas e os produtos de marketing direto, financeiros, e de logística, entre outros;

– o mercado concorrencial no Brasil é altamente pulverizado e competitivo, contando inclusive com a participação de gigantes multinacionais. Como todas as outras empresas do setor, os Correios realizam investimento para divulgar sua imagem e seus produtos;

– o investimento adicional de R$ 9,9 milhões em letreiros de agências e R$ 1,7 milhão para troca da marca na frota será gradual, realizado em dois anos, e corresponde a 0,036% da receita dos Correios estimada para o período;

– o investimento da campanha publicitária equivale a 0,18% da receita de um ano da empresa. Lembramos ainda que o investimento em publicidade ocorre todos os anos, para divulgação institucional e de produtos e serviços;

– a queda no volume de mensagens, já sentida por operadores postais no mundo todo, ainda não é registrada no Brasil devido ao aquecimento da economia na última década, o que abriu novos nichos de negócio e gerou demanda por comunicação;

– justamente para garantir a sustentabilidade da empresa perante a tendência mundial da redução de mensagens escritas, em 2011 o governo federal ampliou o objeto social dos Correios, que agora podem atuar em segmentos de serviços modernos como telefonia móvel virtual e comunicação digital, entre outros;

– como resultado, os Correios iniciam ainda neste mês os testes para oferta de novos serviços financeiros no Banco Postal em 76 agências; até o final do ano devem iniciar a oferta de serviços de telefonia móvel virtual e do segmento postal eletrônico (comunicação multicanal e certificação digital) e no segundo semestre planejam iniciar as operações de uma empresa controlada de transporte aéreo de carga;

– os fatos referentes a 2005 foram objeto de apuração interna, que resultou em mais de 30 demissões por justa causa;

– a partir da Lei 12.490/11, os Correios também adotaram práticas modernas de gestão corporativa, controle e transparência e obtiveram parecer da Controladoria Geral da União (CGU) ressaltando a regularidade dos atos de gestão relativos a 2012, além de terem sido premiados no 1º Concurso de Boas Práticas da CGU, em 2013.

A fim de informar corretamente a sociedade brasileira, os Correios tornam públicas as perguntas do UOL e as respostas fornecidas pela assessoria de imprensa:

PERGUNTA: Como será a implementação da nova logomarca nas agências (fachadas, placas, etc) e material (envelopes, caixas, etc) dos Correios? Há um cronograma para que isso ocorra? Quantas agências os Correios têm?

RESPOSTA: O processo será gradual. Temos mais de 12 mil agências próprias, franqueadas e comunitárias.

PERGUNTA: Qual a previsão de investimento na implementação da nova logomarca em agências e materiais dos Correios?

RESPOSTA: O custo será para a troca da marca apenas na frota (estimado em R$ 30 mil) e nos letreiros externos de agências e prédios operacionais e administrativos, cujo guia técnico está sendo elaborado para as aplicações. Em todos os outros pontos de contato da empresa com o público, não haverá custo adicional – a nova marca será aplicada em novas produções para reposição de estoque, tais como embalagens, uniformes, formulários etc. E em meios eletrônicos a troca também não requer custos extras.

PERGUNTA: Quanto custou a campanha para criação e divulgação da nova logomarca?

RESPOSTA: O processo de redesenho foi realizado pela empresa CDA Branding & Design, que venceu licitação na modalidade técnica e preço. O contrato foi de R$ 390 mil.

PERGUNTA: Vocês afirmam que os Correios não têm previsão de quanto será investido na adequação de suas agências à nova logomarca, nem um cronograma para que isso ocorra. Pelo que entendi, esse valor só será conhecido após a finalização do guia técnico. Contudo, me parece pouco comum que uma empresa do porte dos Correios planeje uma reformulação de sua marca sem saber quanto gastará com essa iniciativa. É isso mesmo, os Correios não têm nem uma previsão de quanto custará adequar as agências à nova logomarca? É correto concluir que a logomarca foi lançada sem que a empresa tenha uma ideia de quanto custará para adequar as agências em todo o país?

RESPOSTA: A conclusão não é correta, pois não haverá custo adicional com a troca dos letreiros das agências — a maioria está com vida útil esgotada e com a substituição já agendada.

Haverá redução de custos, já que o custos de letreiro serão menores com o novo padrão, devido aos seguintes aspectos:

– o letreiro da marca anterior é constituído por uma mescla de material plástico (vacuform) e chapa metálica, com módulos complementares com canaletas. Já o novo utiliza apenas chapa metálica, que amplia a gama de fornecedores existentes no Brasil. Considerando que os Correios possuem agências em todo o País, a existência de fornecedores locais proporciona a redução dos custos de produção devido a menores fretes de materiais, ao aumento da competitividade na contratação e escala de produção, além da melhoria no tempo de entrega.

– o novo letreiro também tem menor quantidade e complexidade de elementos, devido o design da nova marca, o que reduz o preço.

– o novo letreiro terá maior tempo de durabilidade, devido à estabilidade de cor de cinco anos, pois o material tem maior resistência aos elementos da natureza, como a exposição ao sol. O aumento de sua vida útil proporcionará redução de custos futuros de manutenção.

PERGUNTA: Quanto custou a criação e divulgação da campanha da nova logomarca? (Não o desenvolvimento da marca, já informado por vocês, mas a divulgação dela, como a propaganda veiculada hoje em alguns jornais impressos)

RESPOSTA: O custo da campanha de divulgação é de cerca de R$ 30 milhões, o equivalente a 0,18% da receita total da empresa. É natural que os Correios realizem investimento em publicidade, pois o mercado de encomendas no Brasil é de livre concorrência, disputado por centenas de players, inclusive gigantes multinacionais. Toda empresa que disputa mercado concorrencial investe na divulgação de sua marca e seus produtos, principalmente no momento em que realiza um reposicionamento de mercado, caso dos Correios.

Esse é o objetivo do lançamento da nova marca: adequar a identidade visual da empresa ao cenário atual, já que os Correios disputam mercado concorrencial, responsável por cerca de 60% da receita total da empresa.

PERGUNTA: Qual o tempo de obsolescência de um uniforme de carteiro? Eles só serão substituídos por uniformes com a nova logomarca findo esse tempo?

RESPOSTA: Os uniformes são substituídos quando não possuem mais condições de uso, sem prazo definido para a troca.

PERGUNTA: Segundo as informações enviadas, os Correios têm cerca de 12 mil agências –6.400 próprias, 4.400 comunitárias e 1.031 franqueadas. O custo da troca de placas das agências próprias e comunitárias (11 mil) é arcado pelos próprios Correios. Quanto custa trocar os letreiros de 11 mil agências, já considerando as especificidades do novo modelo?

RESPOSTA: O investimento estimado para troca dos letreiros das 11 mil agências próprias e comunitárias é de R$ 9,9 milhões. O valor será investido nos próximos dois anos e equivale a 0,03% da estimativa de receita da empresa no mesmo período. Lembramos que não se trata de custo adicional, pois a maioria dos letreiros já seria substituída por estar com vida útil esgotada, e que a troca do letreiro com a nova marca tem custo menor do que o custo de troca registrado com a marca anterior.

PERGUNTA: Pelo que foi informado, os letreiros têm vida útil de 3 anos. Isso significa que todos os letreiros dos Correios são trocados sempre a cada 3 anos? Ou cada caso é avaliado individualmente?

RESPOSTA: Significa que três anos é o tempo de durabilidade média sem degradação visual perceptível de cada letreiro, individualmente.

PERGUNTA: O cronograma dos Correios é que em 2 anos a nova logomarca esteja em todos os pontos de contato com o público. Há um cronograma específico para trocar os letreiros das agências?

RESPOSTA: Não.

PERGUNTA: Há alguma previsão de reformular também a logomarca do Sedex?

RESPOSTA: A identidade visual da marca SEDEX ainda será objeto de estudo que definirá a necessidade ou não de revitalizá-la.

PERGUNTA: Em setembro do ano passado o governo anunciou que os Correios estudavam a criação de um serviço público e gratuito de e-mail que contaria com criptografia. Esse projeto foi adiante? Caso positivo, há previsão de lançamento?

RESPOSTA: Segue o status de alguns dos projetos que fazem parte da revitalização dos Correios:

– parceria com o Banco do Brasil para criação de instituição financeira e ampliação dos serviços financeiros oferecidos pelo Banco Postal: parceria assinada, com primeira aprovação do CADE e em fase de elaboração do plano de negócios;

– oferta de serviços postais eletrônicos (certificação digital e comunicação multicanal): parceria assinada com a empresa VALID;

– oferta de serviços de telefonia móvel virtual (MVNO): parceria assinada com o Poste Mobile (subsidiária do Correio Italiano) para constituição da empresa Operadora Virtual de Telefonia Móvel (MVNO – Mobile Virtual Network Operator) e previsão de início das operações neste ano;

– logística: implantação de novos complexos operacionais: centro de Cajamar (SP) já está pronto e o de Campinas (SP) estará concluído neste ano. Os processos para aquisição das máquinas automatizadas de triagem estão em andamento.

Quanto à criação do serviço de e-mail, os Correios definiram que será conduzida no conjunto de soluções digitais oferecidas na parceria com a Valid.

PERGUNTA: Ainda não há uma data prevista de lançamento do serviço de e-mail, no âmbito da parceria com a VALID?

RESPOSTA: A parceria com a VALID ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), entre outros órgãos reguladores e de governo, o que está previsto para ocorrer até novembro deste ano. Os produtos começarão a ser oferecidos a partir do próximo ano e a data de lançamento de cada um deles será definida pelo plano de negócios.

PERGUNTA: Um esclarecimento:

Os Correios afirmam que gastarão R$ 30 mil para inserir os adesivos com a nova logomarca na frota de veículos. Segundo o site de vocês, a frota é de 19.918 veículos. Isso dá um gasto de R$ 1,50 por veículo. Está correto?

RESPOSTA: Retificamos a informação dada anteriormente. O investimento de R$ 30 mil seria para troca da marca em parte da frota de veículos, para o lançamento. A estimativa de investimento total para a troca da marca na frota é de R$ 1,7 milhão, em 2 anos, para 16 mil veículos (parte da frota será substituída por veículos novos, então os adesivos desses veículos não serão trocados).

PERGUNTA: Como falamos ao telefone, sou repórter do UOL e estou tentando localizar a evolução do número de cartas e cartões postais postados no Correios ao longo dos últimos anos –o objetivo é identificar se esse número está crescendo ou diminuindo.  No Relatório de Administração de 2012 (http://www.correios.com.br/sobreCorreios/empresa/publicacoes/arquivos_pdf/RelatorioAdministracao_2012.pdf), este número está disponível. Foram 6.658.113.470 cartas e cartões postais postados naquele ano. Nos relatórios dos anos anteriores, porém, esse número não está disponível.  Vocês poderiam me informar a evolução desse número (cartas normais e cartões postais somente, sem incluir encomendas e cartas expressas) ao longo dos últimos anos?

RESPOSTA: Conforme a União Postal Universal (UPU), órgão da ONU que congrega os operadores postais de quase 200 países, a queda de mensagens já é sentida no mundo todo — foi de 4,7% em 2012 em relação a 2011. No Brasil, os Correios vêm registrando estagnação do volume.

Volume de Mensagem* Correios

2009 – 6,2 bilhões

2010 – 6,5 bilhões

2011 – 6,7 bilhões

2012 – 6,6 bilhões

*inclui cartas, cartões e telegramas. Não inclui propagandas (serviço de mala direta).

Fonte:  http://blog.correios.com.br/