FECOMERCIO

Notícias do Setor

Por dentro da encomenda internacional: Orientações antes de realizar compras online

Com o comércio eletrônico ganhando cada vez mais mercado, os consumidores passaram a ter maior possibilidade de adquirir produtos oriundos de qualquer parte do mundo

04/08/2014

Com o comércio eletrônico ganhando cada vez mais mercado, os consumidores passaram a ter maior possibilidade de adquirir produtos oriundos de qualquer parte do mundo. Para facilitar o entendimento da população quanto ao funcionamento dos negócios eletrônicos em caso de compras realizadas no exterior, o Blog dos Correios inicia hoje a série semanal “Por dentro da encomenda internacional”.

Nesta primeira edição, orientaremos os consumidores quanto à importância de tomar precauções antes de iniciar o processo de importação de produtos, tratando especificamente de aquisições sem finalidade comercial. A fim de evitar futuras complicações, procurar fornecedores de confiança se torna o aspecto mais relevante deste processo. Recomenda-se observar se o endereço eletrônico usado pelo vendedor informa claramente os dados necessários para a sua localização e contato, bem como verificar a política de troca/devolução do site e se o serviço de atendimento ao consumidor atua de forma eficaz.

Outra medida relevante ao importar um produto via postal, seja para uso próprio ou para presente, é certificar no site dos Correios se a importação é permitida ou sujeita a anuência. Vale ressaltar que os Correios são os operadores logísticos escolhidos para o desembaraço e a distribuição dos objetos postais importados, mas não participam da transação comercial entre exportador e consumidor.

Além disso, é importante saber que todas as encomendas importadas estão sujeitas ao controle/fiscalização da Receita Federal do Brasil e, algumas delas, ao controle dos órgãos anuentes, o que amplia o prazo de entrega destes produtos. A série “Por dentro da encomenda internacional” continua na próxima semana, quando abordará as modalidades de envio via Correios.

Fonte:  http://blog.correios.com.br