FECOMERCIO

Notícias do Setor

Sindicato dos carteiros mapeia áreas mais perigosas para entregas em SP

Fonte:  Portal G1   –   19/07/2011 Já são 200 assaltos a funcionários desde o começo do ano. Capela do Socorro e Cidade Tiradentes estão na lista de bairros visados. Em 12 anos de profissão, um carteiro diz nunca ter ficado tão assustado como agora. Ele tem medo de ser identificado. “Você não sabe se presta atenção […]

20/07/2011

Fonte:  Portal G1   –   19/07/2011

Já são 200 assaltos a funcionários desde o começo do ano.
Capela do Socorro e Cidade Tiradentes estão na lista de bairros visados.

Em 12 anos de profissão, um carteiro diz nunca ter ficado tão assustado como agora. Ele tem medo de ser identificado. “Você não sabe se presta atenção no seu serviço ou se presta atenção em quem está atrás de você”, diz.
O Sindicato dos Funcionários dos Correios entregará uma carta aberta à população para denunciar a insegurança no trabalho. Só na semana passada foram cinco assaltos na Zona Sul de São Paulo. Um dos casos aconteceu no bairro Campo Grande. Dois homens foram presos depois de tentar roubar um carro dos Correios. O terceiro assaltante conseguiu fugir.
Segundo um balanço do sindicato, as áreas mais perigosas para os carteiros são as que concentram a maioria das entregas: na Zona Sul são Capela do Socorro, Estrada do M’Boi Mirim e Jardim Mirian; na Zona Norte são Vila Guilherme, Jardim Peri, Parada de Taipas e Vila Nova Cachoeirinha; e na Zona Leste são Cidade Tiradentes, São Mateus, Guaianazes e Itaim Paulista.
O sindicato diz que os assaltantes chegam normalmente de moto e rendem os motoristas dos carros para levar principalmente pacotes com eletroeletrônicos. Mas os criminosos também abordam os carteiros que estão a pé para pegar encomendas com cartões de crédito e talões de cheque.
Em alguns casos, os ladrões querem apenas a roupa do carteiro. “Dois assaltantes, um com uma arma na barriga dele e outro na minha, chegaram e pediram para tirar tudo. Tirei camisa, calça e tênis. Eu fiquei só de roupa de baixo, vamos dizer assim. Dali meia hora ou 40 minutos, com a minha roupa eles fizeram um assalto na Zona Norte”, diz o carteiro.
O sindicato dos trabalhadores diz que a categoria já foi vítima de 200 assaltos desde o começo do ano. Os Correios informam que têm feito operações conjuntas com os setores da segurança pública para combater o roubo de cargas. Já a PM afirma que os gerentes dos Correios se comprometeram a enviar, todo mês, uma relação das ocorrências para facilitar o planejamento do policiamento.